Resenha: Quando meu pai perdeu o emprego

Por Bel Farias (Twitter @Bel_Larie)

Hoje eu vou compartilhar com vocês um livro muito fofo e gostosinho de ler. A princípio pode parecer bobo e infantil, mas não é, garanto. A proposta da literatura é linda e serve de lição para muita gente.
Quando meu pai perdeu o emprego foi sugestão da escola quando eu era da 3º série do ensino fundamental. Ou seja, faz um certo tempo! Rs. Mas até hoje eu tenho esse livro guardado com muito carinho e empresto para as minhas amigas.
O livro fala sobre uma família de classe média alta que, em um momento de altos e baixos da vida, acaba perdendo tudo em função do desemprego do pai. Eles precisam abandonar os luxos, os caprichos, as birras e as diferenças e, juntos, encontrar uma saída para reverter a situação.
E é aí que o livro toca em uma ferida vivida por muitas famílias. Muitas vezes nos isolamos sem querer e temos a falsa impressão que não precisamos do outro – mesmo esse sendo nosso laço sanguíneo. As vezes consideramos nossos amigos mais irmãos que os verdadeiros. Muitas vezes, somente após uma crise ou em um episódio de doença ou morte, conseguimos perceber a importância de nos mantermos unidos com nossos pais, avós, primos etc.

É difícil ir contra os desgastes do dia a dia, da individualidade, respeitar os limites e a individualidade de cada um, e é essa a peça chave mais encantadora dessa história linda. Tem livros, minha gente, que parecem feito para crianças, mas se eu puder dar um conselho, aqui vai; não deixem passar. Comprem para os irmãos, primos e amigos mais novos, mas não deixem de ler. Sempre tem uma lição sensacional que você vai levar para a vida inteira.
Além disso, esse livro é divertido, típico para ler em um ou dois dias, no máximo. É fácil se encantar por tudo aqui e por todos os personagens. E, se alguém tiver passando pelo mesmo aperto… Juntar a família e por em prática as ideias. Principalmente as de carinho, cumplicidade, amor e atenção em casa.

Beijos!! 😉

Quando meu pai perdeu o emprego

Pepê e seus três irmãos levam uma vida mais do que confortável, cheia de mordomias. Porém, quando o pai perde o emprego, tudo muda drasticamente; agora eles têm que dividir um minúsculo apartamento e tirar seu sustento vendendo pastel em uma barraca. Felizmente, o avô, autodenominado Capitão Esperança, aparece para apoiá-los e, chamando a família de Nave Azul, infunde-lhes confiança e paciência para enfrentar os maus ventos. Apenas Betão, o irmão mais velho, não consegue lidar com a vergonha e o desgosto pela nova situação e acaba expulso da nave. Pepê, ao contrário, desdobra-se para colaborar; arruma um emprego de boy, ajuda na barraca de pastel e fica feliz quando o irmão, arrependido e transformado, volta para casa. Depois de muitos revezes, o pai consegue um bom emprego, a situação melhora e todos reconhecem na crise uma oportunidade de amadurecimento.

Autor: Wagner Costa
Editora: Moderna
Número de paginas: 80

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha: Quando meu pai perdeu o emprego

  1. Rayme disse:

    quando eu estava lá pela 3° serie tbm ouvi falar neste livro, mas acabei nem lendo, ou não me lembro… 😛
    as vezes esses livos que achamos “bobinhos” é os que mais tem a nos ensinar, não é?

Obrigado por passar pelo In The Sky.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s