Sétima Arte – Anonymous.

A partir dessa sexta-feira estarei resenhando alguns filmes que vão concorrer ao maior prêmio do cinema mundial (maior? Ok,ok muitos acham): Oscar 2012.
Lógico que alguns deles vocês não vão ver por aqui, vou comentar apenas aqueles que aguçaram a minha curiosidade.

Antes de falar do filme vou comentar sobre a Teoria da Conspiração de que Shakespeare não existiu, para entenderem melhor.
Alguns historiadores, simpatizantes e curiosos dizem que William Shakespeare era apenas um pseudônimo de Edward de Vere, Conde de Oxford. Alguns dizem que era ele que escreveu todas as obras e assinava como William Shakespeare – já que por conta do nome da família e ele era um possível sucessor ao trono não poderia escrever peças.
Muitos acreditam nela, pois não há grandes relatos de quem Shakespeare existiu de fato e a ortografia dele não correspondia aos textos escritos.
Mentira ou não, o fato é que William Shakespeare continua e será muito estudado em todos os tempos, suas obras são apresentadas até hoje, com grande sucesso, quem estuda Teatro sempre tem vontade de apresentar uma de suas obras.

Anonymous.


Título original: Anonymous
Ano: 2011
Tempo: 2horas
Gênro: Drama
País: Alemanha, Reino Unido
Diretor:Roland Emmerich
Atores: Rhys Ifans, David Thewlis, Vanessa Redgrave, Jamie Campbell Bower, Joely Richardson
Estreia: Março de 2012

Sinopse: Acompanha uma teoria que diz que as obras de Shakespeare não foram escritas pelo próprio, mas pelo Conde Edward de Vere.

Anonymous concorre ao Oscar de melhor figurino.
______________________________________________________________________________________________________

O que me fez assistir Anonymous foram dois motivos: David Thewlis e as duras criticas que esse filme ganhou por contar uma história que dizem ser apenas boatos.
Muitos críticos bombardearam Anonymous com textos negativos, deste a escolha do tema ao dialogo dos atores.
Assisti o filme duas vezes para tentar descobrir qual parte dessa critica deles era a ruim, conclusão: Não achei.

O filme começa no dias de hoje, com um senhor atrasado para uma peça de Teatro. Quando ele sobe ao palco faz uma breve introdução falando sobre a conspiração de William Shakespeare (essa que citei acima). Quando a peça começa, si já entramos na época onde tudo aconteceu.
Somos apresentados a um jovem escritor que foge de alguns guardas, escondendo alguns textos dentro de um baú.

Ryhs Ifans como Edward de Vere

Ryhs Ifans como Edward de Vere

Anonymous trabalha com duas épocas diferentes, eles nos mostra Edward de Vere ainda jovem sendo educado pelo William Cecil (David Thewlis), Lord Burghley, Cecil tentou educa-lo por anos para ser o possível sucessor do trono de Elizabeth, mais seus planos não deram muito certo, primeiro pelo amor a escrita de Edward e segundo porque ele foi apaixonado pela rainha.
A segunda época nos mostra o que aconteceu com Edward, casado com a filha de Cecil, um homem amargo porém que ainda sonhava em ser suas obras sendo assistidas por inúmeras pessoas.

Edward de Vere e Elizabeth ainda jovens

Edward de Vere e Elizabeth ainda jovens

Como o Conde de Oxford era proibido de escrever e tão pouco apresentar suas obras, a ideia dele foi usar um pseudônimo e um pobre dramaturgo ajuda-lo. O plano em si até dá certo.
O plano em si até dá certo, suas peças são um grande sucesso, as Edward não estava feliz.

O passado dele sempre o assombrou. O amor que ele sentia pela Rainha e que foi impossível de viver. As tramóias da família Cecil. É um filme cheio de intrigas e você tem que prestar bastante atenção para não se perder.

David Thewlis

David Thewlis

Gostei muito da maquiagem dos atores. David Thewlis está incrível, confesso para vocês que não o reconheci velho daquele jeito. O figurino impecavél, a fotografia também está perfeita mostrando sempre a Inglaterra sombria, ponto forte de filmes de época.

E é claro! Diálogos:

Anne Cecil: Edward. Nossa família está em ruínas financeiras e você… Toca flauta enquanto Roma arde…
Edward: Nero tocou violino enquanto Roma queimava..
Anne Cecil: Meu Deus, você está…Escrevendo de novo. Depois do que me prometeu.
Edward: Anne, você deveria ter visto a multidão. Eles não se sentaram como o Reptilia do tribunal. […]
Anne Cecil: Por que você escreve? Por que você deve continuar humilhar minha família? […]
Edward: As vozes Anne. As vezes, não posso impedi-las. Elas vêm até mim. Quando eu durmo, quando eu acordo, quando eu como. Quando eu ando pelo corredor.Os anseios de uma doce donzela, as ambições de afluência de um cortesão, os desenhos de um assassino, os fundamentos de suas vítimas. Só quando eu coloco suas palavras, suas vozes num pergaminho é que elas se tornam livres. Só quando a minha mente se aquieta. Em paz.
Eu ficaria louco se não anotasse as vozes.

Tem como dizer que isso seria fraco? Não né?

Trailer:

Anúncios

4 comentários sobre “Sétima Arte – Anonymous.

Obrigado por passar pelo In The Sky.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s