Marian Keyes – Musa das Mulherzinhas.

Por Lana.

Well, hoje finalmente trago uma coluna inéditapara vocês. Hoje com a graça de Deus e a benção chique do casamento de Catherine Middleton e o Príncipe William (que todos vimos e ficamos chupando o dedo), trago um texto que escrevi com um carinho enorme.

Marian Keyes – A musa das mulherzinhas.

Muitos dos livros que leio são dramas e suspenses, prefiro eles, pois tem um ritmo acelerado, viciante, te prendendo com mais facilidade na história.
Mas devo admitir que ler uma comédia para quebrar toda a tensão dos dramas e suspense faz bem e muito bem. Faz mais bem ainda quando o livro aborda assuntos reais, acontecimentos dramáticos que podem acontecer com qualquer um e com uma boa pitada de humor.

Marian Keyes – faz exatamente isso.
É irlandesa, nasceu em Limerick, graduou-se em direito em Dublin, morou anos em Londres trabalhando como garçonete e em escritórios – nesse mesmo tempo começou sua luta contra os alcoolismos e tentativa de suicido. Depois que venceu essa batalha árdua, lançou-se como escritora, nos contemplando com histórias deliciosas.

Keyes desenvolveu suas histórias em meio a uma família com 5 filhas bem problemáticas. – Claire Walsh, Rachel Walsh, Helen Walsh, Anna Walsh e Maggie Walsh. Conhecidas como as irmãs Walsh.
São mulheres que passaram dos 25 anos, estão perto dos trinta, ou, com mais de trinta, passando por problemas amorosos (na grande maioria), vícios, seja de álcool, seja de drogas e a crise particular de cada uma delas – com peso, as roupas, se estão bem, o que as pessoas pensam.

Não li todos os livros que relatam as Walsh. Li Sushi – o 1° livro que não é de história delas e Casório. Mas aqui vou postar apenas as histórias das irmãs Walsh


Melancia (Watermelon) – 2003

1° Livro de Marian Keyes.
Clarie Walsh teve sua filha , está no hospital e seu marido a sua frente, olhando-a na cama. Deduzindo tratar-se de algum tipo de sinal de respeito, ela nem suspeita de que ele soltará a notícia da sua iminente separação: “Ouça, Claire, lamento muito, ms encontrei outra pessoa e vou ficar com ela. Desculpe quanto ao bebê e todo o resto, deixar você desse jeito…” Em seguida, dá meia-volta e deixa rapidamente o quarto. Defato, ele sai quase correndo. Com 29 anos, uma filha recém-nascida nos braços e um marido que acabou de confessar um caso de mais de seis meses com a vizinha também casada, Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e os efeitos colaterais da gravidez, como, digamos, um canal de nascimento dez vezes maior que seu tamanho normal! Não tendo nada melhor em vista, Claire volta a morar com sua excêntrica família: duas irmãs, uma delas obcecada pelo oculto, e a outra, uma demolidora de corações; uma mãe viciada em telenovelas e com fobia de cozinha; e um pai à beira de um ataque de nervos. Depois de muitos dias em depressão, bebedeira e choro, Claire decide avaliar os prós e contras de um casamento de três anos. E começa a se sentir melhor. Aliás, bem melhor. É justamente nesse momento que James, seu ex-marido, reaparece, para convence-la a assumir a culpa por tê-lo jogado nos braços de outra mulher. Claire irá recebê-lo, mas lhe reservará uma bela surpresa.

Férias (Rachel’s Holiday) – 2004
É quase uma autobiografia da escritora.
Rachel Walsh, uma mulher viciada em cocaína e álcool que acaba de perder o namorado e infelizmente quase perde a vida por causa do consumo de drogas. Conseqüentemente, ela começa a se destruir aos poucos. Em seguida, depois de quase morrer de uma overdose de antidepressivos, toma uma decisão séria e resolve abandonar a glamourosa cidade de Nova Iorque e volta para a casa de sua família na Irlanda do Sul. Chegando lá, interna-se numa clínica a fim de se livrar de uma vez por todas de seu vício e, aos poucos,tenta reconquistar o namorado e reconstruir a vida. Com muito bom humor, a narradora Rachel caçoa de seus próprios problemas, percebe que chegou ao fundo do poço, junta forças para tomar uma decisão e consegue dar a volta por cima. Por fim, Rachel recobra sua auto-estima e encontra a redenção pessoal justamente como ocorreu com Marian Keyes.

Nota: Estou lendo Férias. Rachel é ótima, engraçada, toda cheia de vida e com seu coração perdido com medo do que as pessoas vão pensar dela no momento que ela entra na clinica de reabilitação.

Los Angeles (Angels) – 2007
Maggie Walsh sempre foi uma anjinha, a cria mais certinha da complicada (e engraçadíssima) família Walsh… até se cansar de andar na linha e mandar todas as regras que a prendiam a um dia-a-dia em sal (e muito menos açúcar) às favas – a começar pelo casamento (que, para o bem da verdade, nunca havia realmente engrenado) e o trabalho bitolante numa firma de advocacia. Ao largar essa vida em preto e branco no passado, Maggie decide se mandar para o lugar onde a realidade promete ser em Technicolor – Hollywood, claro! Terra do glamour, da liberdade, da beleza (até as palmeiras das calçadas são magras), da luxúria e, obviamente, da diversão!

Tem Alguém Aí? (Anybody Out There?) – 2009

Anna Walsh é um desastre ambulante. Ferida fisicamente e emocionalmente destruída, ela passa os dias deitada no sofá da casa de seus pais em Dublin com uma ideia fixa na cabeça: voltar para Nova York.
Nova York é onde estão seus melhores amigos, é onde fica o Melhor Emprego do Mundo®, que lhe dá acesso a uma quantidade estonteante de produtos de beleza, mas também, e acima de tudo, é a cidade que representa Aidan, seu marido.
Sua volta para Manhattan se torna complicada não só por conta de suas cicatrizes físicas e emocionais, mas também porque Aidan parece ter desaparecido.
Será que é hora de Anna tocar sua vida pra frente? Será que ela vai conseguir (tocar a gente sabe que sim; o negócio é pra frente)?
Uma série de desencontros, uma revelação estarrecedora, dois recém-nascidos e um casamento muito esquisito talvez ajudem Anna a encontrar algumas respostas. E talvez transformem sua vida… para sempre.

Outros livros que valem muito a pena ler de Keyes são:

Sushi (Sushi for Beginners) – 2004
Casório (Lucy Sullivan is getting married) – 2005
É Agora… ou Nunca (Last Chance Saloon) – 2006
Um Best Seller pra Chamar de Meu (The Other Side of the Story) – 2008
Cheio de Charme (This Charming Man) – 2010
Todos eles voltadoa ao Mundo “Mulherzinha” de ser.

Fica ai a dica da semana e se você leu algum livro dela, venha me falar, vou adorar saber.

Agradecimento ao site Skoob.

Anúncios

Um comentário sobre “Marian Keyes – Musa das Mulherzinhas.

  1. karine nakashima souza disse:

    Já li melancia e férias, eu amei, eles são ótimos de fato , agora eu comprei Los Angeles , agora ou nunca e Casário, acho que vou amar tanto quanto os outros !

Obrigado por passar pelo In The Sky.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s